quarta-feira, 7 de maio de 2014

VEJA E A DESINFORMAÇÃO MUSICAL

DESDE QUANDO MENUDO É OU FOI UMA BANDA?

Por Alexandre Figueiredo

A revista Veja é não apenas o reduto do reacionarismo mais oportunista do país, mas também é responsável pela degradação cultural do país, aquela que a intelectualidade "bacana" atribui como uma atitude "de esquerda", ou, na pior das hipóteses, "acima de qualquer ideologia".

Pois não é mera coincidência que Veja aposta na degradação cultural e, para desespero da intelectualidade "bacana" metida a engajada, abraçou tendências como o arrocha e o "funk ostentação", com MC Guimê virando capa de uma revista cujos astros são Reinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino.

Seguindo o rumo da bregalização e da desinformação cultural, eis que vemos, no suplemento Veja Rio - que, evidentemente, não iria fugir da orientação central da matriz - a mania da mídia brasileira de chamar grupos vocais de "bandas", em clara afronta ao trabalho árduo da classe dos músicos.

A reportagem de capa, sobre o grupo One Direction e outros ícones adolescentes, cita até mesmo o termo "banda de garotos", uma tradução equivocada do termo boy band, já que o termo band se refere a "conjunto" e "grupo", como no filme Band of Brothers, e não como "banda".

Quantas vezes teremos que dizer para os jornalistas culturais que existe uma grande diferença entre alguém que se dedica horas e horas a tocar instrumento e forma grupos com outros instrumentistas e, quando muito, um ou poucos que apenas cantam, e alguém que apenas dança e canta, e se junta com outros cantores e dançarinos que mal se dedicam a compor letras adicionais com produtores?

Não se espera que o jornalista musical seja um professor universitário de música, mas que pelo menos divulgue informações pelo menos honestas e corretas, ainda que dentro de um padrão ideológico conservador, reacionário e até mesmo antissocial. Espera-se que, pelo menos, se construa "jornalisticamente" textos que provem que, por exemplo, privatizar tudo é ótimo.

Porém, como vivemos em época de mau jornalismo, faz sentido haver, de vez em quando, algum jornalista musical creditar como "banda" um amontoado de cantores e dançarinos, porque é uma pessoa apressada, mal informada e mal orientada, que já faz péssimos cursos universitários e encontra nas redações patrões mais estúpidos que ela.

O que se vê é que a nossa mídia transforma a desinformação em hábito e arruma desculpa para dizer que "são outros padrões". E o mau jornalismo faz com que grupos que só cantam e dançam e que são amestrados por empresários e produtores se equiparem a grupos cujos integrantes dão duro para aprender instrumentos e compor partituras.

Está na hora da Ordem dos Músicos agir contra essa pasmaceira de "bandas de garotos", porque esse negócio de bandas sem instrumentistas é algo que vai contra todo o trabalho da classe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...