segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

FUNQUEIRO PRESO COM DROGAS. FUNQUEIROS FAZENDO VANDALISMO. E NÓS SOMOS OS MORALISTAS DE 1910!!


Por Alexandre Figueiredo

Enquanto a intelectualidade cultural dominante aumenta sua choradeira em prol do "funk ostentação" e as Organizações Globo reforçam seu apoio explícito ao "funk carioca", duas ocorrências no último fim de semana são de deixar a intelligentzia desabando em lágrimas.

O ícone do "funk ostentação", MC Kauan, foi preso na madrugada de hoje, depois de uma operação de busca iniciada ontem, com 19 pinos de cocaína, sendo autuado por tráfico de drogas. A prisão ocorreu em São Vicente, cidade da região de Santos, no litoral paulista.

Já na capital paulista, foi a interrupção de um "baile funk" que gerou reações violentas dos seus frequentadores, na Zona Leste de São Paulo. Atendendo a reclamações de moradores por conta da poluição sonora, a Polícia Militar ordenou o fim de um "baile funk" que acontecia no entorno da Av. Gov. Carvalho Pinto, na região da Penha, bairro da região.

Embora a Lei do Pancadão, que proibia expressamente a realização de "bailes funk" pela madrugada, tenha sido vetada pelo prefeito Fernando Haddad (PT-SP), também não está proibida a soliticação para que se interrompam eventos desse tipo através de denúncias e apelos à polícia. Se os moradores se sentem incomodados com o barulho, é direito deles denunciar e reivindicar sossego em seus bairros.

Todavia, quando o "baile funk" foi interrompido, os jovens partiram para saques e depredações em mercados da área, incluindo uma filial dos supermercados Extra próxima, na Av. São Miguel. Quiosques também foram depredados pelos participantes enfurecidos que em correria causavam tais atos.

Segundo o depoimento de uma freguesa ao Bom Dia São Paulo (TV Globo), muitas pessoas ficaram em pânico, uma criança chegou a chorar e uma senhora passou mal. Os operadores de caixa do supermercado se sentiram inseguros, assustados com a ocorrência.

Enquanto isso, os participantes do "baile funk" interrompido se dirigiram a um posto de combustíveis, agrediram um frentista (ironicamente, antiga profissão da estrela funqueira Valesca Popozuda) e roubaram o dinheiro que estava em seu bolso.

No posto, realizaram novos ataques, depredando uma loja de conveniências e saqueando seus produtos. Roubaram dinheiro de caixas e quebraram máquinas de cartões de crédito, além de assaltarem um outro funcionário, que afirmou ser a primeira vez que o posto sofre esse tipo de ocorrência.

Com tais incidentes envolvendo o "funk", questionar esses "fenômenos populares" - que cresceram devido a um engenhoso esquema de jabaculê e marketing - ainda é visto pela intelectualidade "bacana" como se fosse uma paranoia moralista da sociedade de 1910.

Então tá. Se o intelectual "bacana" estivesse comendo um salgadinho neste posto de gasolina, e não fosse reconhecido pelos funqueiros furiosos, ele também seria roubado e agredido do mesmo jeito. Será que depois ele se sentirá incomodado quando os outros falam na criminalização do "funk"?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...