terça-feira, 24 de setembro de 2013

JAIR BOLSONARO E A DIREITA TRUCULENTA


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Sendo curto e grosso: o deputado federal Jair Bolsonaro sente muitas saudades da ditadura militar, como se observa em mais um de seus surtos reacionários.

Jair Bolsonaro e a direita truculenta

Por Cadu Amaral - Blog do Cadu - Reproduzido também no Blog do Miro

Jair Bolsonaro, deputado federal pelo Partido Progressista (PP), agrediu fisicamente o senador Randolfe Rodrigues do PSOL. Segundo o psolista, a agressão foi um soco. Bolsonaro afirmou apenas que “foi um toquezinho”.

Já na entrada do 1° Batalhão de Polícia do Exército – local onde funcionava o Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna (DOI-Codi) nos tempos da ditadura civil-militar de 1964.

A visita se dava por conta de trabalhos da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro. Logo na entrada do Batalhão, Bolsonaro criou tumulto por querer participar da visita, mas ele, além de não fazer parte da Comissão é fervoroso defensor do golpe de Estado dos anos de 1960.

Não é a primeira vez que Bolsonaro agride defensores dos Direitos Humanos. Em outra ocasião agrediu verbalmente a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário nos corredores do Congresso. Em entrevista à tevê Bandeirantes afirmou que seu filho jamais se casaria com uma pessoa negra. “Eu eduquei meu filho. Não corro esse risco”.

Mas truculência não se dá apenas com agressões físicas ou verbais explícitas, digamos assim. Negar direitos também é.

O “blogueiro” Reinaldo Azevedo do site de Veja é, sem dúvida alguma, um dos mais truculentos porta-vozes da direita – pastelão, por que não? – no país. Em recente artigo, condenou e atacou o novo Procurador-geral da República, Rodrigo Janot por causa de uma entrevista concedida ao jornal O Estado de São Paulo, o Estadão.

Na ocasião, Janot afirmou que “pau que dá em Chico, dá em Francisco” ao ser questionado sobre o processo do, assim chamado, mensalão do PSDB (a “grande imprensa” chama da mensalão mineiro tentando não vincular o caso aos tucanos). Nada mais correto. O Ministério Público não pode ser seletivo, principalmente nesse caso. Foi em Minas Gerais, sob a batuta do tucanato que o esquema de Marcos Valério surgiu com força na cena política.

Para quem não sabe, em Minas Gerais foi montado um esquema de caixa 2, com dinheiro público de, entre outras empresas públicas, Furnas – ao contrário da AP470, conforme documentos do inquérito 2474, tornado sigilosos pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Agora o julgamento desse inquérito terá como relator Ricardo Lewandowski.

Azevedo defendeu que Janot age por motivações políticas por querer dar celeridade ao processo tucano. Chega a, arraigado de ironia, chamar o novo Procurador-geral de “companheiro”. O que ele quer é que o caso prescreva.

Ora, não se pode defender justiçamento para um e prevaricação para outro. Ainda mais em casos semelhantes e com personagens repetidos. No caso de Minas, se for feita Justiça, com jota maiúsculo, nem Gilmar Mendes escapa. Ele recebeu R$ 185 mil quando era da Advocacia Geral da União. Até FHC, príncipe dos vira-latas brasileiros recebeu uns “trocados”, perto de 500 mil reais. Tudo isso em 1998.

A truculência de Azevedo se dá ao negar que o Estado de Direito seja para todos. Quando cobra justiçamento para uns e “esquecimento” para outros, ele promove a injustiça, talvez a pior das truculências por que essa você não sente num primeiro momento, a não ser que seja o alvo em questão e, a reação é demorada, lenta a ponto de, por várias vezes, não ver resultado concreto.

Mas é assim que age a direita brasileira dita “granfina”. Com um sorriso nos lábios e com ironia escorrendo pelos cantos de suas bocas, do tipo que Reinaldo Azevedo pretende ser. Já a direita brucutu age como Bolsonaro, xinga e agride fisicamente. Mas em ambos os casos o deboche após seus atos está presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...