sábado, 27 de abril de 2013

NASCE O NÚCLEO DO BARÃO DE ITARARÉ / RJ


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Eu estive presente no seminário realizado no Sindicato dos Jornalistas, só não pude ficar até o final por restrições cronológicas (moro em Niterói), mas pelo menos assisti às palestras sobre regulação da mídia pela democratização das comunicações, uma das propostas fundamentais das forças progressistas. Vi pessoalmente gente como Altamiro Borges, Hildegard Angel, Miguel do Rosário e Jandira Feghali, dentro de um evento simples mas bastante participativo que inaugurou o núcleo fluminense do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé, presidido por Altamiro. Valeu a pena e desejamos boa sorte para a filial fluminense, que Altamiro afirma ser bastante criativa e dinâmica.

Nasce o núcleo do Barão de Itararé/RJ

Do Portal Vermelho

Nesta quinta-feira, 25 de abril, foi lançado no Rio de Janeiro o Núcleo Estadual do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. O lançamento aconteceu no Sindicato dos Jornalistas do Rio, na Cinelândia, e contou com um auditório cheio. O Barão de Itararé nacional foi lançado em 2010 e, desde então, tem desempenhado um papel protagonista no debate sobre a democratização dos meios de comunicação no Brasil, construindo e fomentando espaços alternativos de comunicação e atuando fortemente na construção de um novo modelo de comunicação, não monopolizada e plural.

Prestigiaram o evento a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ); o secretário nacional das questões da mídia do PCdoB e presidente do Barão de Itararé nacional, Altamiro Borges; o secretário estadual de comunicação do PCdoB-RJ, Waldemar de Souza; o presidente estadual da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Rio de Janeiro (CTB-RJ), Maurício Ramos; o representante da Fundação Maurício Grabois, Caíque Tibiriçá; o coordenador do Cebrapaz-RJ, Wevergton Brito; a jornalista Hildegard Angel; Orlando Guilhon, da direção do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC); entre outros.

O núcleo central do Barão de Itararé no Rio de Janeiro é composto pelos professores Emir Sader (UERJ) e Marcos Dantas (UFRJ); o cientista político Theófilo Rodrigues; pelos jornalistas Marcos Pereira, José Roberto Medeiros, Gilberto de Souza, do jornal Correios do Brasil, e Bruno Ferrari; além do blogueiro Miguel do Rosário.



O lançamento do núcleo também apresentou uma importante mesa de debate sobre o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para Democratizar a Comunicação. Esse projeto foi construído por diversos especialistas e pensadores do assunto, através do FNDC. O projeto chegará às ruas na próxima segunda-feira (dia 29). A grande batalha pelo recolhimento de assinaturas e pela introdução e fortalecimento do debate na sociedade civil será iniciada nas atividades do 1º de maio por todo o país.

A mesa de debate contou com a presença de Altamiro Borges, Hildegard Angel, Marcos Dantas e Orlando Guilhon; e foi mediada por Marcos Pereira.


Guilhon falou das iniciativas pela democratização das comunicações que já aconteceram ao longo da história do Brasil. Falou do lançamento da Campanha “Para Expressar a Liberdade, uma nova lei para um novo tempo” e da importância das mobilizações de recolhimentos das assinaturas e da intensificação do debate com a sociedade civil: “Teremos um projeto de Lei popular por todo país. Estamos saindo de um processo de mobilização e partindo para uma proposta concreta”, afirmou Guilhon.

O professor Marcos Dantas explicou brevemente alguns pontos do projeto e salientou a importância desse novo momento em que vivemos nesse debate: “Penso que estamos vivendo uma nova fase desse processo político de muitas décadas de história. Penso que ir para as ruas e provocar uma discussão sobre um marco democrático das comunicações do Brasil é fundamental. É o movimento popular tomando a iniciativa de lutar por um Marco Regulatório das Comunicações. Esse processo vai culminar em uma conscientização da sociedade. Vamos ter amplos segmentos da sociedade discutindo a questão das comunicações”, frisou o professor da UFRJ.

Hildegard Angel falou da importância da luta pela democratização das comunicações no Brasil, como instrumento democrático nacional: “Temos urgência desse Marco Regulatório, não apenas pela necessidade de democratizar as comunicações, de democratizar a mídia, sua estrutura, seu conteúdo; mas também para democratizar o direito do cidadão brasileiro de pensar, de ter acesso a informação de qualidade. Um país que vive sob opinião única, vive sob regime de ditadura”, salientou a jornalista.

Altamiro Borges saudou a criação do Barão no Rio de Janeiro, afirmou que o núcleo do Rio é criativo e tem todas as condições de agregar muitos aliados e de contribuir imensamente para o fortalecimento do debate sobre a democratização das comunicações no segundo estado mais importante da Federação. “Agora é o momento de irmos às ruas, e o Barão do Rio pode dar uma belíssima contribuição nessa batalha”.

Altamiro ainda falou da importância do Barão agregar aliados e fomentar a pluralidade: “O Barão é plural, temos que fortalecer todos que desejam lutar pela democratização das comunicações, de fazer uma comunicação livre e diferente”.

A Deputada Jandira Feghali salientou a sua luta de 22 anos no parlamento por iniciativas de democracia na mídia, como a luta pela regionalização. Falou das ações da Comissão de Cultura da Câmara, na qual está presidindo; como a aprovação de seminários regionais sobre a regionalização das comunicações, que se desdobrarão em um debate mais amplo sobre a questão da democratização da mídia. Falou também de uma audiência que será promovida com o BNDES para buscar a criação de uma política de financiamento da mídia livre. Jandira ainda falou das enormes dificuldades enfrentadas no Congresso Federal no que tange o importante debate das comunicações:

“O Congresso anda a passos de tartaruga quando se trata dos assuntos da comunicação. A sociedade está muito mais perto dessa luta, desse movimento. A percepção das pessoas hoje já está mais aguda sobre a importância da democratização das comunicações para o Brasil”, finalizou a deputada comunista.

O dirigente sindical, Maurício Ramos, falou em nome da CTB e prometeu todo apoio e mobilização da Central na luta pela aprovação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular:

“Esse projeto nos permite fazer o que sabemos fazer: ir às fábricas, locais de trabalho, para levar a luta e fazer com que os trabalhadores abracem essa iniciativa. Temos agora a ferramenta que precisávamos para ganhar a classe trabalhadora para essa luta. A CTB-RJ assume aqui o compromisso de integrar ativamente essa luta, levar esse projeto aos trabalhadores e recolher muitas assinaturas. Vamos à luta, contem com a gente”, finalizou Maurício Ramos.

Para Marcos Pereira, um dos coordenadores do Barão no Rio de Janeiro, o núcleo já nasce em um importante momento para a democratização das comunicações: o lançamento do projeto popular. Vamos atuar fortemente para recolhermos o máximo de assinaturas. Nosso núcleo também está aberto para receber novos lutadores em defesa de uma comunicação democrática e plural para o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...