segunda-feira, 18 de março de 2013

VALE-CULTURA NÃO É DA TV GLOBO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Realmente, não faz sentido defender um projeto de subsídios culturais para as pessoas ficarem em casa vendo TV. Vale-cultura deveria ser para as pessoas aproveitarem outras atividades culturais, geralmente mais proveitosas, saindo de casa e entrando em contato com o mundo à sua volta. Felizmente Marta Suplicy desistiu de incluir a TV a cabo, mas pelo jeito a grande mídia não gostou dessa mudança de atitude.

Vale-Cultura não é da TV Globo

Por Altamiro Borges - Blog do Miro

A pressão social muitas vezes consegue reverter péssimas ideias dos governantes. Nesta terça-feira, a ministra Marta Suplicy anunciou que desistiu de incluir a TV por assinatura no programa Vale-Cultura. “Foram fundamentais os encontros que tive nos fóruns de cultura em Porto Alegre e Belo Horizonte, com mais de 500 pessoas. Sou uma pessoa que escuta. Coloquei argumentos a favor e ouvi também os contra. Fui pesando e decidi, então, que vamos focar no teatro, na música e no livro”, afirmou durante um evento em São Paulo.

O programa do governo federal, que concederá R$ 50 mensais para gastos em atividades culturais ao trabalhador que recebe até R$ 3.110, entrará em circulação em junho e estima-se que beneficiará cerca de um milhão de usuários até o final do ano. A previsão é que ele injetará R$ 11,3 milhões no mundo da cultura nos próximos anos. Num primeiro momento, a mídia privada bombardeou o programa, taxando-o de “populista”. Curiosamente, quando a ministra pensou em incluir a TV a cabo, os ataques diminuíram.

Agora, Marta Suplicy desiste da ideia e é elogiada por lideranças culturais e políticas. Segundo Mônica Bergamo, da Folha, ela deu a notícia em primeira mão à deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que preside a Comissão de Cultura da Câmara. “Foi a melhor novidade na área nos últimos dias. Isso demonstra a capacidade dela de ouvir a sociedade”, festejou. Para a atriz Fernanda Montenegro, a proposta não tinha cabimento. “Que força estranha levou à conclusão de que deveríamos dar Vale-Cultura para incentivar o brasileiro a ficar em casa vendo TV em vez de ir ao teatro, ao cinema e às livrarias? É uma incoerência total”.

Quem, de fato, não deve ter gostado da mudança de posição da ministra da Cultura é a poderosa Rede Globo, que controla a maior parte da distribuição da tevê por assinatura no Brasil. Esta “força estranha” talvez agora volte a bombardear o programa do governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...