quarta-feira, 26 de setembro de 2012

PROTESTOS NA EUROPA CONTRA AS MEDIDAS AUSTERAS CONTRA A CRISE



Por Alexandre Figueiredo

As políticas de ajuste impostas pela troica (Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia) provocam indignação em vários países do mundo.

E, como a corda sempre arrebenta no lado mais fraco, países como Espanha e Grécia são duramente afetados, o que faz com que a população reaja severamente às imposições econômicas.

São as famosas medidas de cortes financeiros que, embora não resolvam a grave situação de desemprego existente nos diversos países europeus que adotam o Euro como unidade monetária, são feitas para salvar apenas as finanças das empresas e dos governos.

Na Espanha, protestos da multidão no centro de Madri, ocorridos ontem, foram duramente reprimidos pela polícia. Os manifestantes, que protestavam não somente na capital espanhola, mas também em outras cidades do país, queriam a renúncia do Parlamento espanhol e a convocação de novas eleições.

Os manifestantes estavam indignados contra a aceitação dos parlamentares às medidas austeras impostas à Europa. "Fora! Fora! Eles não nos representam", foram algumas das frases gritadas. A polícia reprimiu com violência aos protestos, deixando vários feridos. Alguns manifestantes também reagiram e feriram pelo menos dois policiais. 23 manifestantes foram presos.

Na Grécia, uma nova greve geral foi decidida, a primeira desde que o economista Antonis Samaras tomou posse como atual primeiro-ministro grego. Vários cartazes de protestos foram colocados em Atenas, um deles dizendo "SOS - o país deve ser salvo, mas acima de tudo sua população".

A paralização atinge vários serviços públicos, em protesto contra a aceitação de Samaras e seu governo de coalisão às medidas determinadas pela troica. Hospitais funcionam em ritmo lento e atendem apenas situações de emergência.

A Grécia recebeu uma ajuda de 13,5 milhões de euros - cerca de 1/13 avos do total a ser destinado ao país pelo Fundo Monetário Internacional e outros integrantes da troica - para cumprir um programa econômico que inclui o corte em vários benefícios previdenciários e o aumento da jornada de trabalho. Além da greve geral, vários protestos foram realizados pela população grega.

Hoje mesmo cerca de 50 mil pessoas participaram de uma manifestação no centro de Atenas, revoltadas com as medidas. "Não vamos nos submeter à troica!! Fora UE e FMI!", eram os principais gritos. A polícia também reprimiu com energia, lançando gás lacrimogêneo contra os manifestantes. O governo colocou no local de protestos 3 mil policiais, o dobro do número normalmente usado no lugar.

Como se vê, a crise europeia acontece, e se as soluções decididas não atendem aos interesses da população, protestos são realizados. Sem qualquer prioridade no espetáculo, afinal, é a realidade dura da população do Velho Continente que está em jogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...