terça-feira, 4 de setembro de 2012

LAUDO CONFIRMA ESTUPRO DE JOVENS POR MÚSICOS DE BANDA DE PAGODE


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Quando morei em Salvador, sempre não vi boa coisa no chamado "pagodão" baiano, sempre afeito à pornografia que, infelizmente, contagiava uma juventude pobre sem escolaridade e vulnerável a uma mídia politiqueira, como são as rádios FM de lá.

E, além disso, os barões do entretenimento de Salvador têm um poder danado, controlando todo o Carnaval, impedindo as expressões culturais genuínas que não se cooptarem à axé-music e permitindo toda uma degradação que o arrocha e o "pagodão" levam até as últimas consequências.

Vamos ver se as denúncias de semi-escravismo na axé-music e das baixarias machistas do "pagodão" - incluindo o caso do estupro promovido pelo New Hit - possam fazer as pessoas acordarem diante dessa selvageria que é a dita "música baiana" que domina o mercado e sufoca a verdadeira baianidade.

Laudo confirma estupro de jovens por músicos de banda de pagode

Por Erikson Walla - Portal Vermelho

O laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana confirmou que duas jovens de 16 anos foram estupradas pelos músicos da banda baiana de pagode New Hit, em uma festa no município de Ruy Barbosa, na região da Chapada Diamantina. As vítimas eram fãs do grupo e procuraram os artistas no ônibus após o show para conseguir autógrafos, quando teriam sido obrigadas a manter relações sexuais com pelo menos nove dos integrantes.

A ação teve o consentimento de um policial , que trabalhava como segurança da banca e teria feito isolamento da porta do ônibus para que ninguém entrasse e saísse durante o abuso. Ele está custodiado provisoriamente pela Polícia Militar e os noves músicos foram levados para o Presídio Regional de Feira de Santana, após terem sido detidos na delegacia de Ruy Barbosa.

O crime já é um assunto comentado nacionalmente e traz de volta uma discussão sobre o contexto de violência em que a mulher está inserida no Brasil. A secretária nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, se pronunciou sobre o acontecimento e o considerou “emblemático”. “O caso reflete a banalização do sexo por meio da violência, o que deve ser combatido com veemência no Brasil”, defende.

No Estado, a secretária de Políticas para as Mulheres (SPM), Lúcia Barbosa, está acompanhando as investigações e cobrou das autoridades celeridade. Para ela, o caso serve de exemplo para a sociedade e deve diminuir a sensação de impunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...