domingo, 27 de maio de 2012

SER GENTE SIMPLES NÃO EXIGE DECLARAÇÃO DE RENDA


Por Alexandre Figueiredo

Um dos grandes erros cometidos pela intelectualidade em nosso país é creditar a simplicidade pessoal a uma virtual relação com a pobreza e com os infortúnios supostamente sofridos.

Através disso, muitos ídolos bregas buscam retomar o sucesso comercial antigo se passando por "vítimas de preconceito" e promovendo uma pretensa imagem de "gente simples" que não obstante é contradita pela postura de grandes resmungões querendo se enriquecer às custas da pose de "injustiçados".

Se vemos um Leandro Lehart e um Beto Barbosa, ou mesmo um Michael Sullivan - que foi uma espécie de "poderoso chefão" do mercado do entretenimento midiático, sob a clara tutela da Rede Globo - , usam a falsa imagem de "gente simples" para resmungar o difícil retorno ao mercado, vemos artistas tidos como "aristocráticos" que surpreendem pela natural simplicidade.

O próprio Chico Buarque tem um jeito de gente simples que nenhum ídolo brega consegue ter. Se nem um José Augusto, os "esforçados" Amado Batista e Odair José ou um breganejo como Daniel conseguem ter a simplicidade do cantor de "Apesar de Você", imagine então um Zezé di Camargo que só vive se explicando, ou melhor, tentando se explicar.

Isso sem falar da experteza de Joelma e Chimbinha e sua falsa simplicidade. Ou a astúcia "simpática" de um MC Leozinho, ou a sorridente arrogância do DJ Marlboro, ou a grosseria mais arrogante ainda de uma Tati Quebra-Barraco. Todos "gente simples", "gente como a gente", como a intelectualidade etnocêntrica quer nos fazer crer com seus preconceitos "sem preconceitos".

Enquanto isso, vemos simplicidade em Tom Jobim, Elizeth Cardoso, Cartola, Pixinguinha e Luiz Gonzaga, nomes do passado que se tornaram históricos. O parceiro de Tom, Vinícius de Moraes, então, era até jovial de tão simples.

E os discípulos de Tom, todos eles, são dotados de simplicidade, como Chico Buarque, Carlinhos Lyra e Francis Hime, o caro amigo de Chico. Para desespero de Pedro Alexandre Sanches, a música de Buarque e Hime, "Meu Caro Amigo", influenciou, em parte, o nome da revista Caros Amigos. E a irmã de Chico, Miúcha, o quanto tem a ensinar para a irmã ministra...

Simplicidade não tem a ver com folha de pagamento, declaração de renda, sucesso ou fracasso de crítica nem sequer uma suposta associação com as classes pobres. Tem a ver com estado de espírito, o que nenhum salário ou mesmo a falta dele poderão medir.

Por isso, a humildade natural dos ditos "burgueses" da MPB faz a diferença em relação à falsa modéstia dos bregas que reclamam demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...