sábado, 10 de dezembro de 2011

"A PRIVATARIA TUCANA" ESGOTA PRIMEIRO LOTE E VELHA MÍDIA PREPARA ARTILHARIA



Por Alexandre Figueiredo

Mal o livro A Privataria Tucana foi lançado e a editora Geração Editorial anunciou que o primeiro lote de 15 mil exemplares do livro foi completamente esgotado. A editora promete a impressão de novos lotes, vendo o sucesso do livro logo no dia do lançamento.

A ampla divulgação dos blogues progressistas também surpreende, com o grande cartaz e as abordagens diversificadas dadas pelo caso. O livro já causou muito barulho quando era apenas uma promessa de lançamento. Lançado, ele terá desdobramentos mais fortes que poderão refletir a longo prazo.

E se o lançamento do livro, em si, causou um sentimento de desdém da velha mídia, agora ela dará cartaz ao livro, só que de forma negativa. Certamente a velha grande mídia terá que economizar sua artilharia que normalmente era destinada a derrubar ministros do governo Dilma Rousseff para desmoralizar a figura do autor do livro, o jornalista mineiro Amaury Ribeiro Jr..

E o que poderá fazer a velha mídia com isso? Poderá, certamente, fazer o que tentou fazer do jornalista: transformá-lo num mero "serviçal" do governo Dilma e do PT, reduzindo o seu trabalho investigativo a uma rinha político-ideológica.

Mas talvez o teatrinho "investigativo" da velha mídia oferecerá "surpresas". O que a Veja, famosa por "fabricar" notícias e romper normas de ética jornalística para fazer triunfar seu denuncismo bravateiro? Não se sabe. Talvez venha a chamar algum desafeto de Amaury para fazer "denúncias" contra ele.

A velha mídia faz jogo sujo. Quando o interesse é dela, picaretas como o ex-policial João Dias Ferreira, acusado de corrupção e homicídio, são tidos como "fontes confiáveis". E, para derrubar um ministro, vale tudo. Se num hipotético caso a velha mídia recorrer até a Fernandinho Beira Mar para temperar seu denuncismo, vai ele mesmo também.

Mas, quando se trata de um trabalho investigativo sério, mas que não é do interesse dos barões da grande mídia, então a coisa é outra. Amaury Ribeiro Jr. deve ser tratado como "criminoso" pela velha mídia, como um "denuncista cafajeste" e outras atrocidades. Tudo para tentar desmoralizar o livro, que certamente será "frito" pela principal revista dos Civita.

A Veja, em muitos episódios, é o "ponto de partida" para esse denuncismo rabugento. Ela "planta" uma denúncia, e a mídia restante, assinando embaixo, "espalha" a façanha. Veja, ícone mais reacionário da imprensa reacionária, torna-se uma dublê de "agência de notícias", certamente muito vagabundo e fajuto, mas perfeito para aquecer o sensacionalismo denuncista da velha imprensa.

É possível que o periódico do Grupo Abril fortaleça seu paiol com a maior artilharia possível. Tudo por conta do sucesso do livro de Amaury Ribeiro Jr., cujo potencial já foi testado quando era apenas uma promessa. Como lançamento, seu sucesso estrondoso - o esgotamento da primeira remessa foi prova disso - já mostra a que veio o livro, e a divulgação da blogosfera também tira o sono dos chefões midiáticos, já sem aquele poder de influência na opinião pública que outrora exerciam.

Portanto, isso é só o começo. Pode ser que o caminho não será fácil. Amaury Ribeiro Jr. não viverá dias tranquilos, porque os barões da mídia partirão para cima dele. Mas a coragem deste jornalista mostra, por outro lado, que o telhado de vidro do demotucanato e da mídia associada só começa a ter suas primeiras rachaduras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...