domingo, 20 de novembro de 2011

REGULAÇÃO DA MÍDIA E OS "AMIGOS DA ONÇA"

2

Por Alexandre Figueiredo

Quando certas causas mais arrojadas e progressistas tomam corpo e ganham apoio, ameaçando a hegemonia de antigas causas e de seus beneficiários diretos e indiretos, os reacionários começam a se mexer. Mas apenas parte deles mantém seu reacionarismo, outros, fingindo solidariedade, preferem sabotar a nova causa fingindo apoiá-la completamente.

A campanha pela regulação da mídia conta com o apoio e a militância de vários ativistas: Venício A. de Lima, Altamiro Borges, Emir Sader, Laurindo Lalo Leal Filho e Fábio Konder Comparato, entre outros. Eles lançaram de livros a artigos com ideias e análises sobre como deve ser essa regulação da mídia.

Evidentemente, há o lado oposto, de gente que acredita que essa regulação da midia é um lero-lero governista do PT, ou que se trata de um sutil mecanismo de censura da "livre imprensa".

Mas, vendo as ideias que Venício, Emir, Altamiro e outros escrevem sobre essa proposta de regulação dos meios de comunicação, se verá que é uma proposta realmente democrática, que busca promover o equilíbrio social evitando os abusos elitistas da velha mídia.

Diante do crescimento do apoio a essas ideias, por elas provarem que a regulação da mídia tem mais a ver com a união de liberdade e responsabilidade e não com a união de autoritarismo e irresponsabilidade da velha mídia e sua "liberdade de empresa", é claro que nem todo mundo que diz apoiar completamente a regulação da mídia está realmente a favor dela.

Os famosos pseudo-esquerdistas, os Amigos da Onça das causas progressistas, que fingem que sentem ódio mortal à direita mas no fundo fazem todo o serviço dela, fingem que adoram a ideia da regulação da mídia, tentam dizer que a apoiam incondicionalmente, mas isso não é verdade.

Eles apoiam a regulação da mídia com a seguinte condição: que ela apenas se limite a conter o mau humor dos comentaristas políticos da velha mídia. Fora isso, que a regulação da mídia reduza o seu desejo de promover a cidadania pela letra morta de seus enunciados superficiais e genéricos.

O apoio que eles dão ao projeto de regulação da mídia é de tal forma restrito que eles só aceitam que a cidadania seja promovida dentro dos princípios de mercado e do consumo. Se a mídia, por exemplo, noticia que a classe média passou a comprar mais, eles aplaudem, achando que o país atingiu o máximo de progresso social. Mas se a regulação da mídia quer varrer o jornalismo espreme-sangue e a vulgaridade das mulheres-frutas, aí eles ficam contra.

O tema cultura é o último refúgio de direitistas enrustidos - alguns infiltrados nas próprias esquerdas - para que se mantenha o histórico controle social das classes dominantes sobre as classes populares.

Vendo que não dá para fazer o controle social politicamente (a ditadura militar desgastou politicamente os militares e civis que estavam no poder) e economicamente (o desemprego e a miséria extrema põem países em rankings inferiores nos índices sociais da ONU), o aspecto cultural é a última reserva de armadilhas que a direita cultural, travestida de esquerdista, quer reservar para o povo.

E a regulação da mídia é supostamente defendida por ela, não incondicionalmente. Afinal, a direita cultural quer sabotar a regulação da mídia, transformando a televisão numa grande gororoba. Sob o rótulo de "cultura das periferias", a direita cultural pode enfiar todo o rol de grosserias, baixarias e desrespeito ao cidadão que a verdadeira regulação da mídia tenta combater em duros esforços, tudo em nome da "liberdade popular".

Dessa forma, a direita cultural tenta manter o mesmo mercado dominante, as mesmas estruturas de poder político e econômico, enfraquecendo culturalmente as classes populares, a pretexto de manter expressões atribuídas a esta, mas que são controladas pelo empresariado do entretenimento.

Dizem que dá para fazer cidadania com a disenteria do entretenimento cafona, grotesco e sem serventia social. Não dá. O que eles querem é que se mantenham as mesmas estruturas de poder, garantindo a sobrevida do antigo poder político e econômico agora refugiado nas suas reservas de manipulação sócio-cultural do povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...