terça-feira, 31 de maio de 2011

LOBÃO DESVIA SEU MAU HUMOR PARA A DIREITA



Por Alexandre Figueiredo

Certos iconoclastas até aparecem com ideias interessantes, mas depois exageram no mau humor reacionário.

O músico Lobão é um desses exemplos, quando, em reportagem da Folha de São Paulo, hoje, atacou a Música Popular Brasileira e ainda chamou a esquerda brasileira de "rancorosa e invejosa". Exagerando na iconoclastia, Lobão parecia estar com mau humor suficiente para criar polêmica por si só, pela vontade gratuita de chocar a opinião pública.

Temos que colocar os pingos nos "is". É claro que não vamos investir numa benevolência à indústria cultural e seus totens, como também não vamos derrubar os mestres da MPB como quem pratica um vandalismo. O mau humor exagerado, a indignação sem causa, acaba fazendo muita gente migrar para a direita.

E Lobão, conivente com os torturadores que "só arrancavam umas unhazinhas", parece esse tipo. A qualquer momento, o cantor carioca vai chorar suas mágoas no Instituto Millenium, que virou uma espécie de lavanderia para direitistas revoltados ou para neocons de primeira hora.

É bom lembrar que Lobão, apesar de sua iconoclastia que alterna momentos de lucidez e de intransigência, havia apoiado o funqueiro Mr. Catra, um oportunista que vendia sua imagem de "anti-mídia" ao mesmo tempo em que se tornava queridinho do Luciano Huck, na Rede Globo. Num desvio em prol da condescendência, Lobão havia demonstrado simpatia pelo cantor Amado Batista, numa época em que era moda qualquer artista ou celebridade adotar um ídolo brega como se fosse sua mascote, achando que vai promover "inclusão social" com isso.

A "mediocridade galopante" da música brasileira existe, seja em alguns artistas menos criativos da "fase burguesa" da MPB, seja pelo brega-popularesco que usa o rótulo de "popular". Mas se ser um iconoclasta turrão é reacionarismo, também é outra manobra direitista bancar o todo-bonzinho com aqueles que realmente são medíocres na nossa música.

É o caso do "direitista do bem" Pedro Alexandre Sanches, que promove uma visão etnocêntrica da periferia, bem ao gosto dos barões da grande mídia que o treinaram, junto à intelectualidade tucano-uspiana de FHC e companhia.

Afinal, se Lobão atacando João Gilberto e Chico Buarque soa direitista, também é direitismo analisar a cultura popular dissolvendo Francis Fukuyama, Roberto Campos e Auguste Comte em divagações tropico-paçoquianas, ignorando que muito dessa suposta "cultura da periferia" tem o patrocínio direto do mesmo poder latifundiário que manda matar agricultores, e que todos os ritmos brega-popularescos são tocados em rádios controladas por políticos e grandes fazendeiros.

Pois não é, por exemplo, alguém achar Parangolé e Psirico "geniais" só porque foram vítimas de racismo que vai resolver o problema da mediocridade ou vai fazer qualquer analista da música brasileira virar um bastião da generosidade humana. A iconoclastia extrema e a condescendência também tornam-se igualmente nocivas para a sociedade.

Mudando de enfoque: não deixa de ser curioso que os "desafetos" Lobão e Caetano Veloso agora navegam pelo mesmo plano ideológico.

4 comentários:

  1. Fico imaginando o que Cazuza e Julio Barroso diriam numa hora dessas. E Renato Russo, que Lobão diz ter conhecido pessoalmente só nos anos 90.

    Essa geração oitentista que tem um passado glorioso (e foi contemporânea dos nossos primeiros anos de vida) mudou muito. Herbert Vianna (outro "rival" de Lobão) é gente boa, mas fecha os olhos para os 300 picaretas de que Lula falou e agora estão na base do Governo Lula-Dilma. Frejat participou ativamente da malfadada campanha do SIM no plebiscito de 2005. Aquela campanha que o imortal (quase literalmente, e no mau sentido) José Sarney quer ressuscitar.

    Ainda prefiro a postura da Paula Toller, que se assumiu ser eleitora do PSDB, não esconde sua ideologia e não fica nesse rancor de quem perdeu o bonde da história da música brasileira. E olha que ela de fato perdeu o bonde, mas não fica de mi mi mi por causa disso. E teve a dignidade de aceitar numa boa as vaias quando tentou cantar o "tapinha não dói" no Rock in Rio 3. Se fosse o Lobão, teria desferido palavrões contra a plateia e teria terminado de cantar o malfadado fanquinho.

    ResponderExcluir
  2. É bom lembrar que este blog aqui está radical demais, beirando o extremismo não é de hoje. Não aceita nenhuma critica sequer à esquerda enquanto tal. Se alguém falha no campo da esquerda, é porque tem o DNA da direita nele, nunca pelo DNA esquerdista. Eu creio que as críticas que o Lobão faz à esquerda e à MPB (se for na velha rivalidade rock vs. MPB, com esta fazendo acusações injustas ao rock) são válidas e na maioria das vezes corretas. O que estraga tudo é o Lobão fazendo vez ou outra a defesa da Música de Cabresto Brasileira. O que lhe tira a credibilidade para fazer aquelas críticas justas que estou citando.

    ResponderExcluir
  3. Bom, a verdade é essa: não é meu blogue que está sendo radical demais, é a realidade que está ficando mais absurda.

    ResponderExcluir
  4. Ô, e como nossa realidade está absurda demais! Mas ainda prefiro encarar a realidade que o mundo de mentiras pintado tanto por golpistas e artistas de cabresto como por governistas amestrados. E creio que o amigo também encara a realidade. À sua maneira.

    Continuo acompanhando seus textos, Alexandre. São altamente relevantes. E olha que texto relevante não é necessariamente um texto que eu vá assinar embaixo. Eu é que estou tirando uma folga de escrever, até inaugurar meu auto-intitulado blog, sucessor daquele outro que encerrei, como você já deve estar sabendo. Aliás, estou pensando em inaugurar o blog com a resenha do Paul McCartney no Engenhão, resenha que deverá parar no blog da Kiss, também. Estou devendo a resenha.

    P.S: Não se faça brincadeiras com torturas, sequestros, assassinatos e justiçamentos, seja quem forem vítimas e algozes. Mas parece que aquele que pediu votos para Lula no Faustão ao vivo no 2º turno de 1989 pensa diferente.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...