quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

OPOSIÇÃO DEMOTUCANA ENFRAQUECE NO LEGISLATIVO



Por Alexandre Figueiredo

O governo Dilma Rousseff começa com uma base de apoio no Legislativo mais favorável do que seu antecessor Luís Inácio Lula da Silva havia enfrentado, há oito anos, no começo do seu primeiro mandato.

Em comparação com 2003, a oposição ficou 57% e 64% menor, respectivamente na Câmara dos Deputados e no Senado. Em contrapartida, o aumento da base governista aumentou 47% na Câmara e simplesmente dobrou.

Evidentemente não se pode ter um bloco monolítico, mas a base de apoio, sendo mais forte, permitirá que as medidas do governo Dilma tenham mais chances de serem aprovadas. E, além do mais, mesmo projetos perigosos como o "AI-5 digital" do senador mineiro Eduardo Azeredo têm mais possibilidade de serem vetados.

A imprensa conservadora simplesmente se apavorou quando viu o bloco demotucano nas duas casas legislativas reduzir-se drasticamente. Mas não apontou os motivos dessa derrota das bases do PSDB, DEM e partidos relacionados.

No entanto, o bloco governista está longe de ser harmonioso. Nem todo o bloco é realmente progressista, já que existem alianças pragmáticas e fisiológicas, de partidos considerados "neutros" como PP, PR, PTB (o antigo partido trabalhista, que só ressuscitou formalmente, mas nunca recuperando o vigor político do pré-64) e, sobretudo, PMDB, único partido remanescente da dupla criada pelo AI-2 do regime militar.

Além do mais, dependendo do caso, alguns parlamentares de partidos aliados se comportarão como uma verdadeira oposição, como é o caso de muitos políticos do PMDB, PP, PR, PTB e até PDT que compõem a bancada ruralista, que vota contra a reforma agrária, e mesmo políticos também desses partidos mais o PSB, por exemplo, que poderão votar contra os interesses dos trabalhadores. Fora os casos de corrupção política conhecidos e banalizados.

Mesmo assim, há a possibilidade de que as esquerdas pressionem para que projetos de reformas sociais sejam aprovados e as mudanças, ainda que graduais, continuem com seu curso normalmente.

Em discurso de abertura das sessões do novo Congresso, Dilma Rousseff pediu a colaboração dos parlamentares no pacto social para a erradicação da miséria no país, além de colaborarem nas votações em reformas como a política e a tributária. Além disso, ela também falou que pretende lançar um programa de prevenção de tragédias, para evitar calamidades como as ocorridas na Região Serrana fluminense, no começo deste ano.

Ela também anunciou a continuidade das obras do Programa de Aceleração do Crescimento, na sua segunda etapa (PAC-2).

3 comentários:

  1. "Oposição demotucana enfraquece no Legislativo"

    "Grandes coisa". A direita emagreceu nas bancadas demo-tucanas e cresceu dentro do Governo, com esse monte de partidos fisiológicos. O amigo Alexandre tem que aprender a dar o nome aos bois. "Considerados "neutros"" é pouco para definir esses partidos lulo-dilmistas. PP é direita (é o outro herdeiro da Arena, junto com o DEM ex-PFL), PR, PRB e PSC (e os pastores dos três) são direita, PTB é direita pseudo-trabalhista (desde que Ivete Vargas herdou a legenda que lhe foi entregue pelos militares) e o PMDB é direita fisiológica, exceto por figuras de esquerda como o senador Roberto Requião, que gostava muito de empregar parentes no Governo do Paraná. O PMDB já foi direita democrática, mas só nos tempos do saudoso Ulisses Guimarães, que teria asco ao ver no quê transformaram o MDB.

    O blog tem lembrado bem de figuras da direita abrigados tanto em seções regionais do PDT como no PSB. Ou alguém imagina que figuras como Jaime Lerner e Gabriel Chalita possam ser consideradas de esquerda ou ao menos progressistas?

    Esquerda no Governo? Só o PT e o PC do B.

    Mas, pelo que li no blog, o blog assumiu de vez: toda oposição é má. E como o blog não citou a oposição do PSOL (pero no mucho) nem os independentes sem representação partidária, misturou todo mundo na mesma panela e condenou o mingau todo, sem distinguir um ingrediente do outro, como se todos fossem reacionários ou de direita, indistintamente. O blog virou chapa branca total. Digo isso aqui e no meu blog, pra todo mundo ficar sabendo. E não digo isso com gosto. Pelo contrário: meu desgosto é enorme.

    Nem vou perder meu tempo explicando que há alternativas à direita demo-tucana, à direita governista e à esquerda. Mas não perderei meu tempo explicando isso aqui. Um independente JAMAIS será entendido por um governista.

    ResponderExcluir
  2. "Oposição demotucana enfraquece no Legislativo"

    "Grandes coisa". A direita emagreceu nas bancadas demo-tucanas e cresceu dentro do Governo, com esse monte de partidos fisiológicos. O amigo Alexandre tem que aprender a dar o nome aos bois. "Considerados "neutros"" é pouco para definir esses partidos lulo-dilmistas. PP é direita (é o outro herdeiro da Arena, junto com o DEM ex-PFL), PR, PRB e PSC (e os pastores dos três) são direita, PTB é direita pseudo-trabalhista (desde que Ivete Vargas herdou a legenda que lhe foi entregue pelos militares) e o PMDB é direita fisiológica, exceto por figuras de esquerda como o senador Roberto Requião, que gostava muito de empregar parentes no Governo do Paraná. O PMDB já foi direita democrática, mas só nos tempos do saudoso Ulisses Guimarães, que teria asco ao ver no quê transformaram o MDB.

    O blog tem lembrado bem de figuras da direita abrigados tanto em seções regionais do PDT como no PSB. Ou alguém imagina que figuras como Jaime Lerner e Gabriel Chalita possam ser consideradas de esquerda ou ao menos progressistas?

    Esquerda no Governo? Só o PT e o PC do B.

    Mas, pelo que li no blog, o blog assumiu de vez: toda oposição é má. E como o blog não citou a oposição do PSOL (pero no mucho) nem os independentes sem representação partidária, misturou todo mundo na mesma panela e condenou o mingau todo, sem distinguir um ingrediente do outro, como se todos fossem reacionários ou de direita, indistintamente. O blog virou chapa branca total. Digo isso aqui e no meu blog, pra todo mundo ficar sabendo. E não digo isso com gosto. Pelo contrário: meu desgosto é enorme.

    Nem vou perder meu tempo explicando que há alternativas à direita demo-tucana, à direita governista e à esquerda. Um independente JAMAIS será entendido por um governista.

    ResponderExcluir
  3. Aliás, o blog começou como um contraponto à cultura popularesca e ao pensamento de direita na mídia, depois mudou para "blog progressista... da gema!" e agora se define como "um blog voltado para a esquerda".

    As mudanças do blog rumo ao governismo foram mais rápidas que as avalanches na Região Serrana.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...