segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

NOTA DE REPÚDIO AO DESMONTE DA TV CULTURA



COMENTÁRIO DESTE BLOG: Uma violenta crise atinge a TV Cultura, com vários profissionais demitidos e muitos programas cancelados. É a insensibilidade do grupo político que está no poder, ligado ao PSDB, que menospreza a importância de uma programação educativa de TV numa cidade, e sobretudo numa capital como São Paulo, de crescimento dinâmico porém desigual.

Nota de repúdio ao desmonte da TV Cultura

Manifesto de diversas entidades

A Frente Paulista pelo Direito à Comunicação e Liberdade de Expressão (Frentex) vem a público repudiar o desmonte da RTV Cultura promovido pelo governador do Estado de São Paulo.

A notícia das 150 demissões ocorridas na RTV Cultura de São Paulo na última segunda-feira, dia 7, só confirma a intenção do PSDB de desmonte da única emissora pública paulista, que faz parte do patrimônio do povo.

A emissora enfrenta uma das maiores crises de sua história. Já foi amplamente divulgado na mídia que o projeto da atual gestão da Fundação Padre Anchieta, ligada diretamente ao governo de São Paulo, é reduzir o quadro de funcionários e efetuar corte de verbas em algumas de suas produções. Com isso, pretendem economizar as custas dos empregos e da qualidade da programação da emissora, alterando inclusive o papel social da Fundação, gestora da TV Cultura.

Para honrar o Estado democrático que conquistamos após anos de arbítrio, é necessário que a TV Cultura propicie programação de qualidade, jornalismo independente e ético, participação da sociedade em seu Conselho Administrativo e condições de trabalho dignas a todos os funcionários.

O Estado de São Paulo não pode ser mero espectador no processo de avanço da democratização dos meios de comunicação que está sendo discutido em nível nacional, idéia que se fortaleceu mais ainda após a realização da 1ª Conferência Nacional de Comunicação, da qual o movimento social paulista teve grande representação, apesar do boicote promovido pelo governo do Estado.

Nesse sentido, defendemos um amplo debate sobre o papel da TV Pública no Estado de São Paulo para que ela continue sendo um instrumento de fortalecimento dos valores e costumes do povo, que tenha diversidade de idéias e de opiniões e ajude no fortalecimento de nossa democracia.

São Paulo, 10 de fevereiro de 2011.

Entidades que assinam a nota:

- Campanha pela Ética na TV

- Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé

- Cidadania e Saúde

- Ciranda da Informação Independente

- Coletivo Intervozes

- Conselho Regional de Psicologia de São Paulo

- Coordenação Nacional de Entidades Negras/Conen-SP

- CTB-SP

- CUT-SP

- Federação dos Jornalistas de Língua Portuguesa – FJLP

- Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo

- Movimento Sindicato é pra Lutar

- Observatório da Mulher

- Revista Debate Socialista

- Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo

- Sindicato dos Radialistas do Estado de São Paulo

- Sinergia/CUT (Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de SP)

- União Brasileira de Mulheres

- União Estadual dos Estudantes

- União de Mulheres de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...