segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A CRISE DO PT MINEIRO



COMENTÁRIO DESTE BLOG: Muitas vezes a esquerda, em determinados Estados do país (como na Bahia), torna-se um grande balaio de gatos e de interesses eleitoreiros diversos, onde a afinidade ideológica é apenas fachada, enquanto interesses escusos estão em jogo, mostrando também divergências de princípios e de objetivos.

Não é de surpreender que, num contexto sócio-político em que um reacionário professor mineiro, Eugênio Raggi, se diz petista (e, não conseguindo convencer sequer as moscas, some de cena e corre de medo das críticas a seus textos agressivos na Internet), o bloco do PT em Minas Gerais esteja em franca crise. E é irônico que é justamente lá que o PPS mineiro é mais alinhado ao PT e que Aécio Neves, por pior que seja, adota uma postura mais respeitosa a Lula e Dilma do que a média dos tucanos de todo o país poderia admitir na pior das hipóteses.

A crise do PT mineiro



Por Rudá Ricci - Blog de Esquerda em Esquerda

Vou dar minha contribuição para o debate a respeito da crise do PT de Minas Gerais, talvez a mais grave de toda sua existência.

1) A disputa entre Fernando Pimentel e Patrus Ananias dividiu o partido e bloqueou a emergência de novas lideranças. O partido está esclerosado, sem espaço para representação a partir das diversas regiões do Estado;

2) A disputa criou um falso dilema entre os dois estilos: o pragmático e o comunitarista. Assim, esvaziou a capacidade de formulação do partido em MG. O partido, hoje, mais reage ou faz somatória de problemas/reivindicações sociais;

3) Não há organicidade da militância. O partido gira ao redor de parlamentares. E os parlamentares adotaram lógica de feudo, esquadrinhando todo o Estado em áreas de reserva eleitoral;

4) Esta lógica acabou por polarizar e interferir nas disputas internas do movimento sindical. Lembremos que é o sindicalismo de funcionalismo público que mais cresce e se fortalece no país. As disputas entre chapas para conquista da direção desses sindicatos estão diretamente associadas às disputas no interior do partido.

Enfim, o método político é o mais equivocado possível. E nenhum petista chama para si a responsabilidade de alterar tal lógica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...