terça-feira, 14 de dezembro de 2010

PAULO MALUF PODE SER DEPUTADO - VAI TER RODÍZIO DE PIZZA!!


MALUF ESTÁ RINDO DE VOCÊ, CIDADÃO BRASILEIRO.

Por Alexandre Figueiredo

Posso fazer uma navalhada também, Paulo Henrique Amorim?

Pois seu xará Paulo Maluf teve a condenação por improbidade administrativa cassada pela 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Maluf foi acusado de superfaturamento na compra de frangos pela Prefeitura de São Paulo, em benefício da empresa da mulher dele.

Mas agora ele pode ser diplomado deputado.

Um homem procurado pela Interpol, que tem depósitos financeiros na Suíça.

Um dos maiores símbolos da corrupção brasileira.

Fico até imaginando, lá em Salvador, o "radialista" Mário Kertèsz, alma-gêmea de Maluf temperada com dendê, fazer comentários irônicos "contra" o político paulista em seus programas "radiojornalísticos".

Mas, no mercado da mentira, aliados também podem fingir que são contra certos figurões.

Vide o professor mineiro Eugênio Arantes Raggi, que, como dublê de petista é muito mais tucano do que o tucano Aécio Neves.

Raggi também fingiu espinafrar Diogo Mainardi, Marcelo Madureira e a Rede Globo, mas, secretamente, faz a referência a seus ídolos enquanto está fora da Internet, ou enquanto participa feliz dos fóruns relacionados ao portal Globo Esporte ou à CBN.

E Maluf finge ser favorável a Lula, como se tivéssemos esquecido dos seus violentos ataques ao atual presidente em fins de mandato.

Paulo Maluf, aliás, tem um passado direitista de arrepiar.

Como empresário, participou do IPES, que teve a nata da direitona brasileira que pedia a queda de João Goulart nos anos 60.

Até o general Bizarria Mamede, que vociferou contra a posse de Juscelino Kubitschek, também militava no "instituto" IPES.

Os pais de Collor também.

E todos com Roberto Marinho, Antônio Carlos Magalhães, Otávio Frias de Oliveira, Carlos Lacerda, Assis Chateaubriand, Roberto Campos, Eugênio Gudin, Victor Civita, Golbery do Couto e Silva e outros no esforço ipesiano de instalar uma ditadura militar que reorientasse o Brasil para o neoliberalismo subordinado aos EUA.

Os meninos Jaime Lerner, Mário Kertèsz e Fernando Collor vibravam, que nem espectadores de bangue-bangue, torcendo para que os "mocinhos" do IPES derrubasse aquele fazendeiro gaúcho que era amigo de políticos chineses, russos e, sobretudo, cubanos.

Mas hoje todos querem ocultar seu passado. Todos querendo beijar a mão de Lula, acariciar Dilma, quando em outros tempos eles sentiram nojo de tudo que fosse esquerda ou centro-esquerda.

A absolvição de Maluf não vai apagar da memória sua triste figura.

Do cínico corrupto que jura que é "honesto".

Do direitista paranóico que hoje finge que é um "progressista saudável".

Paulo Maluf quis até o prolongamento da ditadura militar, mesmo nos momentos finais do regime.

Portanto, fica aqui o nosso manifesto de repúdio à figura lamentável de Paulo Salim Maluf.

Um comentário:

  1. A única coisa que sinto depois de ler essa matéria é revolta ..... a revolta que sinto por esse homem corrupto , sem caráter.... revolta que sinto por essa política , desculpem o termo , de merda ..... só isso que consigo sentir

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...